Ajuntamentos limitados a dez pessoas, proibida a venda de bebidas alcoólicas a partir das 20h, mudanças nos horários de funcionamento dos estabelecimentos e proibido o consumo de bebidas alcoólicas na via pública.

O aviso estava feito: a partir de 15 de Setembro todo o País entre em Estado de Contingência. Faltava, no entanto, conhecer as medidas inerentes a esta situação, o que aconteceu esta quinta-feira, dia 30, pela voz do Primeiro-ministro, António Costa, numa conferência de imprensa que sucedeu ao Conselho de Ministros.

«Temos consciência que vamos entrar numa nova fase onde as pessoas tenderão a regressar de férias e é necessário adoptar medidas preventivas», disse António Costa, acrescentando que «muitas das regras da Área Metropolitana de Lisboa vão passar a vigorar para todo o País, com ajuntamentos limitados a dez pessoas e estabelecimentos comerciais a abrir a partir das 10 da manhã, com excepções como pastelarias, cafés, cabeleireiros ou ginásios».

António Costa enumerou também outras medidas como a limitação de quatro pessoas por grupo nas áreas de restauração dos centros comerciais, o alargamento da proibição de bebidas alcoólicas nas estações de serviço a partir das 20h e a proibição de consumo de bebida alcoólica na via pública para «assegurar que não se proporcionam situações de ajuntamento».

O Primeiro-Ministro realçou também as cautelas inerentes à reabertura do ano lectivo – não só no contexto escolar, mas também com os perigos de contágio nos movimentos pendulares – e reiterou a importância de serem cumpridas as recomendações de etiqueta de higiene.

Os ajuntamentos junto às escolas vão ser limitados também e qualquer estabelecimento num raio de acção de 300 metros de um estabelecimento de ensino terá uma limitação máximo de quatro pessoas por grupo. «É essencial para evitar a contaminação na escola e da família. Temos a responsabilidade de nos protegermos: colegas, professores, com quem nos cruzamos na rua, familiares…», afirmou António Costa.

Foto: João Bica

Mais Notícias